Qual a contribuição de Gabriel Medina para o surf brasileiro



O surf é um esporte que aos poucos vem ganhando reconhecimento no Brasil. Ainda está longe de ser tão popular quanto o futebol, mas está se tornando cada vez mais comum.

Uma prova disso é que nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, o surf vai entrar dentro das modalidades esportiva na competição. Algo que há alguns anos atrás era bem difícil de se imaginar.

Recentemente, o Brasil tem motivos de sobra para comemorar quando falamos de surf. Um dos nomes mais conhecidos desse esporte não só no país, como também no mundo é o do paulista Gabriel Medina, o primeiro surfista brasileiro a ganhar o WCT (World Surf League).

 

A importância dessa vitória

Com essa vitória em 2014, Medina entrou para a história e acabou se tornando responsável por abrir diversas portas para o surf brasileiro no exterior.

Foi a partir desse acontecimento, que ele se tornou inspiração para milhares de brasileiros que não enxergavam muito futuro nesse esporte dentro do Brasil.

Mas além de servir como inspiração, ele também ajudou outros profissionais do país, fornecendo visibilidade e patrocinadores, algo tão importante para o sucesso da carreira de um esportista.

 

A trajetória de Gabriel Medina até a vitória

Gabriel começou a surfar aos noves anos e já aos onze, participou de seu primeiro campeonato nacional, no qual se saiu campeão.

A partir desse momento, ele passou a colecionar diversas outras vitórias de campeonatos brasileiros de nível amador.

Com 14 anos, ele já participava de competições profissionais e chegou a participar de etapas do Mundial Profissional, sendo que em uma delas, venceu um de seus ídolos no surf brasileiro, Adriano Mineirinho.

Com um reconhecimento considerável, em 2009 ele conseguiu fechar um contrato com uma empresa australiana e se tornou um atleta profissional.

Mas foi só em 2011 que ele passou a competir com atletas do mundo todo, ingressando na elite do surf mundial, com apenas 17 anos. Um feito e tanto para alguém que veio do Brasil.

Também foi em 2011 que ele ganhou grande destaque na mídia americana, isso porque ele conseguiu completar uma das manobras mais difíceis do surf: o backflip, algo parecido com um salto mortal de costas.

E em 2014, finalmente, conseguiu o maior feito de sua carreira: venceu WCT, a competição mais importante de surf do mundo.

A partir dessa vitória, sua carreira decolou de vez. Se ele já tinha um reconhecimento antes, com essa vitória, as coisas só melhoraram.

Mas além dele, quem mais ganha com essa vitória é o Brasil. Ou melhor, os futuros atletas brasileiros, que enxergaram nessa vitória a chance de reconhecimento mundial dentro de um esporte que ainda não é tão popular no país.

É um marco para o surf brasileiro ter um atleta como Medina abrindo as portas para futuros surfistas que estão lutando por reconhecimento.

Felizmente, hoje o surf é um esporte que não é visto com tanto preconceito como antigamente e muitos pais acabam incentivando seus filhos a praticarem.

E ter Medina como um dos responsáveis por essa nova visão do esporte é extremamente importante para o país.